Ingestão de peixe branco é crucial para o desenvolvimento cerebral dos bebés

Bacalhau Seco (002)

Todos sabemos que o peixe faz bem e que há benefícios em obter o Ómega 3 necessário através da ingestão de peixes gordos como o salmão e a cavala. O que muitos desconhecem é que, atualmente, existe um potencial de risco de saúde pública relacionado com um défice de ingestão de iodo em mulheres em idade fértil. Peixe branco magro como o bacalhau, o escamudo ou a arinca são algumas das melhores fontes naturais de iodo.

A deficiência de iodo está a tornar-se um problema de saúde pública – especialmente entre grávidas e mulheres que estão a amamentar, pois a carência de iodo pode causar danos cerebrais no feto e na criança. Um estudo recente aleta para a urgência do combate à insuficiência de iodo nas mulheres que estão a tentar engravidar, nas grávidas e nas que amamentam. O “Global Scorecard of Iodine Nutrition in 2017” revela ingestão insuficiente de iodo por parte das mulheres grávidas em Portugal.

EUthyroid, uma pesquisa financiada pela União Europeia, que conta com 31 parceiros de 37 países, chamou a atenção para a urgência em aplicar medidas que combatam a carência de iodo na Europa. De acordo com os resultados deste estudo, grávidas e mulheres a amamentar têm uma necessidade acrescida de iodo, que é habitualmente insuficiente nas suas dietas, e até mesmo um défice ligeiro de iodo acarreta risco de alteração da função neurocognitiva e redução do QI das crianças. De acordo com EUThyroid, 50 por cento de todos os recém-nascidos estão expostos a um défice leve de iodo e, por conseguinte, o seu potencial cognitivo fica em risco.

Como saber se o iodo ingerido é o suficiente?

Garantir que ingere a quantidade suficiente de iodo antes de engravidar é mais benéfico do que começar a tomar suplementos de iodo na gravidez. Segundo o “Comprehensive Handbook of Iodine”, os alimentos mais ricos em iodo são os de origem marinha, nomeadamente o peixe branco, superando quaisquer outras fontes de iodo, como o leite e ovos (tabela 37.1). Um estudo de maio de 2018 revelou que a origem do peixe influencia o nível de iodo, mesmo tratando-se da mesma espécie. Por exemplo, o bacalhau capturado no Norte, no Mar de Barents ou no Mar da Noruega, parece ter concentrações mais altas de iodo do que o bacalhau de outras zonas, embora o estudo não tenha sido conclusivo. A pesca nas águas frias e límpidas da costa norueguesa é das mais regulamentadas do mundo, ou seja, pode saborear o seu bacalhau de consciência tranquila (por ser oriundo de pesca sustentável) e, ao mesmo tempo, está a ingerir uma boa quantidade de iodo.

“Para as mulheres que querem engravidar, ou que já estão grávidas, o bacalhau é um super-alimento. É um peixe magro rico em proteína e vitamina D e B12, e uma das melhores fontes naturais de iodo e selénio. Ao optar-se pelo Bacalhau da Noruega, além da elevada ingestão de iodo também se garante uma refeição repleta de proteína saudável, sustentável e rastreável,” afirma Johnny Thomassen, Director do Norwegian Seafood Council para Portugal.

Comer peixe aumenta a fertilidade

Um estudo recente de Harvard TH Chan School of Public Health demonstrou que ingerir muito peixe também pode ajudar a engravidar. O estudo analisou os hábitos alimentares de 500 casais que estavam a tentar engravidar, durante um ano, e descobriu que os que ingeriam peixe mais de duas vezes por semana engravidaram mais depressa. 92 por cento engravidaram após um ano, enquanto apenas 79 por centro dos que consumiam menos peixe conseguiram engravidar no mesmo período. Os casais que comiam mais peixe também revelaram ter relações sexuais com maior frequência. Assim, os resultados que a ingestão de peixe aumenta a fertilidade.

10 razões para comer mais peixe

  1. Acrescentar peixe à dieta traz inúmeros benefícios para a saúde em geral, graças à poderosa combinação de proteínas, vitaminas, minerais e ácidos gordos ómega 3.
  2. Os ácidos gordos ómega 3 ajudam a reduzir a hipertensão e o colesterol, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares.
  3. Comer mais peixe pode melhorar a memória de longo e de curto prazo e ajuda a prevenir as formas mais comuns de demência, como a Doença de Alzheimer.
  4. O peixe é rico em Vitamina D e cálcio, o que melhora a densidade mineral óssea e assegura dentes e ossos mais fortes e saudáveis.
  5. O peixe melhora a sua aparência uma vez que torna a pele mais “limpa” e saudável.
  6. O peixe é rico em selénio e vitamina A, sendo que ambos contribuem para melhorar o sistema imunológico.
  7. O peixe branco tem elevados níveis de iodo, que é muito importante para o normal desenvolvimento cerebral e sistema nervoso fetal. Estatisticamente, quantidades suficientes de iodo contribuem para um QI mais elevado e melhor desenvolvimento da visão entre os 3 e quatro anos de idade
  8. Os casais que comem peixe mais do que duas vezes por semana têm relações sexuais com maior frequência e engravidam mais depressa.
  9. O peixe tem uma menor pegada ecológica do que a carne e é uma excelente escolha para consumidores preocupados com as alterações climáticas.
  10. O sabor é ótimo! Quer prefira peixe fresco, congelado ou seco, há uma infinidade de refeições saborosas e acessíveis que ficam prontas em menos de 30 minutos.

Dose Diária Recomendada de Iodo

Idade Dose recomendada
Nascimento até aos 6 meses 110 microgramas
Bebés dos 7-12 meses 130 microgramas
Crianças de 1-8 anos 90 microgramas
Crianças de 9-13 anos 120 microgramas
Adolescente 14-18 anos 150 microgramas
Adultos 150 microgramas
Grávidas 220 microgramas
Mulheres a amamentar 290 microgramas

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt