AbbVie apresenta dados de longo prazo e PRO de upadacitinib num estudo de fase 2b na dermatite atópica no 27.º Congresso da Academia Europeia de Dermatologia e Venereologia (EADV)

packings of pills and capsules of medicines on white background

A AbbVie, uma empresa biofarmacêutica global de investigação e desenvolvimento, anunciou novos resultados de um estudo de fase 2b, ainda em curso, que incluem dados de eficácia e segurança a longo prazo (32 semanas) e PRO (patient-reported outcomes) que avaliam upadacitinib, um inibidor oral seletivo de JAK1 de toma diária única, em investigação, em doentes adultos com dermatite atópica moderada a grave. Os resultados de uma análise provisória pré-especificada do estudo de fase 2b de avaliação de dose mostraram que o tratamento com upadacitinib 7,5 mg, 15 mg ou 30 mg resultou em melhorias no prurido e nas lesões cutâneas, com diferenças estatisticamente significativas observadas à semana 32, em comparação com placebo. Os resultados de uma análise adicional a um subgrupo de doentes mostraram, ainda, que upadacitinib melhorou o prurido e o impacto no sono devido a dermatite atópica em doentes tratados com upadacitinib (30 mg, toma diária única) à semana 16, em comparação com placebo. Os dados destas duas análises foram apresentados no 27.º Congresso da Academia Europeia de Dermatologia e Venereologia (EADV), realizado em Paris. Upadacitinib não está aprovado pelas autoridades regulamentares e a sua segurança e eficácia não foram ainda estabelecidas.

“Os resultados deste estudo aumentam o nosso nível de compreensão sobre o potencial de upadacitinib como opção terapêutica importante para os doentes com dermatite atópica”, afirmou o Marek Honczarenko, vice-presidente da área de desenvolvimento em Imunologia da AbbVie. “Na AbbVie, procuramos continuamente descobrir e desenvolver medicamentos inovadores para os doentes que precisam de mais opções terapêuticas que melhorem os padrões de cuidados e a sua qualidade de vida. Os dados intermédios deste estudo clínico sustentam o recente avanço de upadacitinib para estudos de fase 3 e sublinham o nosso compromisso com os doentes com dermatite atópica.”
A dermatite atópica é uma doença de pele crónica, recidivante, inflamatória e comum, com comorbidades associadas. Um terço dos doentes com dermatite atópica apresenta uma forma moderada a grave da doença, que se manifesta como uma erupção cutânea debilitante, causadora de forte prurido, e com um significativo impacto físico, psicológico e económico. Existe, ainda, uma grande necessidade de terapêuticas que sejam eficazes no controlo dos sinais e sintomas da dermatite atópica moderada a grave.

“Os sintomas associados a dermatite atópica podem ter um forte impacto na qualidade de vida do doente, causando um forte desconforto e dor e afetando, também, o sono”, afirmou Jonathan Silverberg, professor associado de Dermatologia, Ciências Médicas e Sociais e Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina de Feinberg, da Universidade de Northwestern, e investigador principal do estudo. “Os resultados PRO apresentados no Congresso da EADV são encorajadores e permitem-nos conhecer melhor as melhorias obtidas com upadacitinib em doentes com dermatite atópica moderada a grave.”

Resultados de longo prazo à semana 32

Estes são resultados de uma análise provisória à semana 32 de um estudo de fase 2b, ainda em curso, denominado “Efficacy and Safety of Upadacitinib Treatment Over 32 Weeks for Patients with Atopic Dermatitis from a Phase 2b, Randomized, Placebo-Controlled Trial” (Eficácia e segurança do tratamento com upadacitinib ao longo de 32 semanas em doentes com dermatite atópica num ensaio de fase 2b aleatorizado, controlado com placebo) (P0236). À semana 16, os doentes de cada um dos grupos de upadacitinib foram realeatorizados num rácio de 1:1 para continuarem com a dose do Período 1 (7,5/15/30 mg, uma vez por dia) ou para passarem para placebo (descontinuação), enquanto o grupo de placebo do Período 1 foi realeatorizado para receber upadacitinib 30 mg uma vez por dia ou placebo. Quatro semanas após a realeatorização (semana 20), foi disponibilizada terapêutica de resgate em ocultação com upadacitinib 30 mg uma vez por dia após a primeira ocorrência de uma resposta inferior a EASI 50.

Os resultados mostraram que os doentes tratados com qualquer dose de upadacitinib (7,5/15/30 mg uma vez por dia) alcançaram melhoria estatisticamente significativa na extensão e gravidade da dermatite atópica, medida pela melhoria percentual média no Índice de Extensão e Gravidade do Eczema (EASI), em relação aos valores iniciais. Nos doentes tratados com upadacitinib, a melhoria percentual média no EASI em relação aos valores iniciais foi de 48/44/69 por cento com as doses de 7,5/15/30 mg, respetivamente, comparado com 34 por cento nos doentes tratados com placebo. Nos doentes tratados com placebo no Período 1 e depois realeatorizados para receberem upadacitinib 30 mg no Período 2, a melhoria percentual média no EASI foi de 97 por cento à semana 32.

Adicionalmente, verificaram-se, ainda, melhorias estatisticamente significativas no prurido à semana 32 relativamente aos valores iniciais, para todos os grupos tratados com upadacitinib. Tendo por base a NRS (escala numérica de classificação de prurido), os doentes realeatorizados para upadacitinib alcançaram uma melhoria de 53/44/61 por cento no prurido com as doses de 7,5/15/30 mg, respetivamente, em comparação com um agravamento de 6 por cento no prurido nos doentes tratados com placebo.

Resultados de eficácia à semana 321
Dose Período 1 PBO UPA 7,5 mg UPA 15 mg UPA 30 mg
Dose Período 2 PBO

(n=10)

UPA

30 mg (n=10)

PBO

(n=15)

UPA

7,5 mg (n=16)

PBO

(n=19)

UPA

15 mg (n=18)

PBO

(n=19)

UPA

30 mg (n=19)

Melhoria percentual média no EASI em relação aos valores iniciaisa 34% 97%*** 9% 48%* 12% 44%* 22% 69%**

Melhoria percentual média no prurido em relação aos valores iniciais/NRS do pruridob

-6% 94%*** -6% 53%** 3% 44%** -13% 61%***

*p<0,05, **p<0,01, ***p<0,001

aO Índice de Extensão e Gravidade do Eczema (EASI) é uma ferramenta usada para avaliar a extensão (área) e a gravidade da dermatite atópica

bO prurido foi classificado entre 0 (sem prurido) e 10 (pior grau imaginável de prurido)

Neste estudo, não foram detetados novos sinais de segurança. Ocorreram 2 acontecimentos adversos graves no grupo de placebo realeatorizado para upadacitinib 30 mg, incluindo uma infeção grave e um caso de cancro da pele não melanoma. Não ocorreram eventos cardiovasculares (adjudicados), outras neoplasias além de cancro da pele não melanoma, trombose venosa profunda (TVP) ou embolia pulmonar (EP) até à semana 32 no estudo de fase 2b.

A AbbVie já tinha anunciado resultados positivos deste estudo de fase 2b em fevereiro de 2018 e setembro de 2017.

PRO à semana 16: Prurido, dor na pele e impacto no sono devido a dermatite atópica

Os resultados de uma análise adicional num subgrupo de doentes à semana 16 mostraram que os doentes tratados com upadacitinib apresentavam melhorias ao nível do prurido e do impacto da dermatite atópica no sono. No estudo, os doentes preencheram um questionário diário para registo dos sintomas e do impacto da doença, que incluía três pontos para avaliar o prurido e a dor na pele (prurido durante o sono, prurido enquanto acordados e dor na pele) e três pontos para avaliar o impacto da doença no sono (dificuldade em adormecer, impacto no sono, incómodo por acordar durante a noite).

À semana 2, observaram-se melhorias em todas as avaliações nos grupos de todas as doses de upadacitinib, comparativamente com placebo. À semana 16, apenas o grupo de upadacitinib 30 mg apresentou melhoria em todas as avaliações, exceto dor na pele.

Os PRO constituem um componente importante para compreender de que forma os doentes encaram o impacto físico, psicológico e social da sua doença.7 Utilizar estes resultados para avaliar o impacto da doença permite, aos doentes, ter um papel ativo no seu percurso terapêutico e fornecer dados importantes às equipas clínicas que os acompanham.

Acerca do estudo de fase 2b com upadacitinib

Os resultados provisórios foram reportados de um estudo multicêntrico de fase 2b de avaliação de dose, de 88 semanas, ainda em curso, aleatorizado, em dupla ocultação, com grupos paralelos e controlado com placebo, concebido para avaliar a segurança e a eficácia de upadacitinib em doentes adultos com dermatite atópica moderada a grave inadequadamente controlada com recurso aos tratamentos tópicos ou em doentes nos quais os tratamentos tópicos não eram clinicamente aconselháveis. No Período 1 (16 semanas), os indivíduos foram aleatorizados num rácio de 1:1:1:1 num de quatro grupos terapêuticos (três grupos com doses de upadacitinib, 30/15/7,5 mg em toma diária única, e um grupo com placebo). No Período 2 (72 semanas), cada grupo de upadacitinib foi realeatorizado num rácio de 1:1 para continuar com a dose do Período 1 ou para passar para placebo (descontinuação). Os doentes aleatorizados para receberem placebo no Período 1 foram realeatorizados à semana 16 para receberem upadacitinib 30 mg uma vez por dia ou placebo. Quatro semanas após a realeatorização (semana 20), foi disponibilizada terapêutica de resgate com upadacitinib 30 mg uma vez por dia após a primeira ocorrência de uma resposta inferior a EASI 50. O objetivo primário do estudo foi a alteração percentual média observada em relação aos valores iniciais na classificação do Índice de Extensão e Gravidade do Eczema (EASI), à semana 16. Os objetivos secundários incluíram a proporção de doentes que alcançou EASI 90, EASI 75, IGA (Investigator Global Assessment) de 0 ou 1 e alteração percentual observada na escala numérica classificativa de prurido (NRS). Pode encontrar mais informação acerca deste ensaio AQUI.

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt