Associação tripla num único inalador demonstra benefícios no tratamento da DPOC

Impact Study

 Acabam de ser publicados os resultados do estudo IMPACT – um dos maiores estudos já realizados em doentes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) com história clínica de exacerbações – no New England Journal of Medicine, revelando a eficácia da associação fixa de furoato de fluticasona/umeclidínio/vilanterol (FF/UMEC/VI), uma vez ao dia, em endpoints como as exacerbações, a função pulmonar e a qualidade de vida.

No estudo, a combinação de FF/UMEC/VI (100/62,5/25 µg de furoato de fluticasona/umeclidínio/vilanterol, uma vez ao dia) atingiu a superioridade comparativamente às terapêuticas de dupla associação, (FF/VI – 92/22 µg e UMEC/VI – 62,5/25 µg uma vez ao dia relativamente ao endpoint primário – redução da taxa anual de exacerbações moderadas a graves – assim como noutros endpoints clinicamente relevantes, incluindo a função pulmonar e a qualidade de vida.

Os resultados de endpoints secundários incluem uma redução estatisticamente significativa de 34% nas hospitalizações por DPOC (exacerbações graves) para a associação tripla comparativamente com as duas associações duplas; uma redução significativa do risco de mortalidade por todas as causas, durante o tratamento em ambos os braços contendo corticosteroides inalados, em comparação com UMEC/VI, uma redução de 42,1% do risco de mortalidade por todas as causas em tratamento com a associação tripla em comparação com UMEC/VI.

“Reduzir as exacerbações para manter os doentes fora do hospital é o principal objetivo da gestão clínica da DPOC, além de melhorar a função pulmonar e a qualidade de vida. O estudo IMPACT mostra como a associação de FF/UMEC/VI pode ajudar os doentes com historial de exacerbações a alcançar estes objetivos. Acreditamos que a publicação no NEJM é um importante contributo à gestão clínica, baseada na evidência, desta doença progressiva e debilitante”, considerou Dave Allen, Head Respiratory Therapy Area R&D da GSK.

Para Fernando Martinez, Chef Division of Pulmonary and Critical Care Medicine, New York-Presbyterian Hospital/Weill Cornell Medical Center, “o estudo IMPACT constitui um avanço significativo na melhor compreensão do tratamento da DPOC, ao clarificar um número considerável de lacunas no conhecimento clínico. Ao comparar várias associações de terapêuticas eficazes no mesmo inalador, o estudo clarifica qual o perfil de doente que mais beneficia com cada uma das classes terapêuticas. Uma vez que as exacerbações são frequentes em muitos doentes, o que pode levar a hospitalizações, estes dados são extremamente relevantes para os doentes e para os médicos aquando da decisão sobre a melhor opção terapêutica.”

O perfil de segurança desta terapêutica tripla num único inalador foi consistente com o perfil de segurança dos constituintes individuais. Os eventos adversos mais frequentes nos grupos de tratamento foram infeções virais do trato respiratório superior, agravamento da DPOC, infeções do trato respiratório superior, pneumonia e cefaleia. A incidência de pneumonia enquanto evento adverso grave foi de 4%, 4% e 3% para FF/UMEC/VI, FF/VI e UMEC/ VI, respetivamente, o que é consistente com estudos anteriores.

Ted Witek, Senior Vice President and Chief Scientific Officer da Innoviva, salientou: “O papel dos corticosteroides inalados (ICS) na DPOC tem sido largamente discutido e, neste estudo pioneiro, são reveladas evidências adicionais do seu benefício na população em estudo. Adicionalmente, a robustez destes dados clarifica o papel dos ICS no paradigma de tratamento da DPOC. Felicitamos os nossos parceiros da GSK por este contributo ímpar na evolução do conhecimento na área respiratória.”

Por Cátia Jorge

 

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt