Começou hoje o Curso de Atualização em Doença Vascular Cerebral

B46T6868

A Associação para o Estudo de Doenças Neurovasculares está a organizar, hoje e amanhã, mais uma edição do Curso de atualização em Doença Vascular Cerebral, a decorrer nas instalações da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Auditório CIM-FMUP).

Como explicou Elsa Azevedo, membro da comissão organizadora, “a intenção é discutirmos os aspetos mais práticos, embora por vezes de decisão pouco linear, da abordagem preventiva e terapêutica do AVC”.

 

B46T6927

Elsa Azevedo (AEDN), Ponciano Oliveira (ARSN), Maria Amélia Ferreira (FMUP), António Oliveira e Silva (CHSJ), José Castro Lopes (SPAVC)

 

Durante a manhã de hoje foram discutidas medidas preventivas para o AVC, das quais se salientam as estratégias para a cessação tabágica e as novas normas para controlo da dislipidemia. Serão focados também vários aspetos que levantam dúvidas e polémica nas decisões clínicas, como o uso dos novos antiagregantes plaquetários e a dupla antiagregação, a orientação das estenoses intracranianas, a reversão e o reinício da anticoagulação no AVC agudo. A manhã terminou com reflexões acerca de uma nova dinâmica na abordagem do AVC, seguindo-se a sessão de abertura com representantes das instituições que patrocinam cientificamente o evento (Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Centro Hospitalar de São João, Administração Regional de Saúde do Norte e Sociedade Portuguesa do AVC). Agora está a ser discutido “o tema quente do tratamento endovascular na doença vascular cerebral, com intervenção de neurorradiologistas de quatro centros na discussão das intervenções no AVC isquémico e nas malformações vasculares cerebrais”, contou Elsa Azevedo.

Paralelamente, haverá uma sessão dirigida a doentes que já tiveram AVC, assim como a cuidadores e profissionais de saúde. Para além da apresentação da nova associação “Portugal AVC – União de Sobreviventes, Familiares e Amigos”, haverá uma discussão sobre a importância de se formarem grupos de ajuda mútua apoio a vários níveis, nomeadamente à reinserção social daqueles que sofreram um AVC, muitas vezes precocemente na vida

Paralelamente, haverá uma sessão dirigida a doentes que já tiveram AVC, assim como a cuidadores e profissionais de saúde. Para além da apresentação da nova associação “Portugal AVC – União de Sobreviventes, Familiares e Amigos”, haverá uma discussão sobre a importância de se formarem grupos de ajuda mútua apoio a vários níveis, nomeadamente à reinserção social daqueles que sofreram um AVC, muitas vezes precocemente na vida.

Amanhã o dia começará com uma discussão sobre situações particulares de doença vascular cerebral, como o AVC na criança, as particularidades da mulher, e o difícil diagnóstico diferencial da vasculite do sistema nervoso central. A patologia hemorrágica será também discutida amanhã, tanto a hemorragia subaracnoídea, como intraventricular, como intracerebral, contando aqui com a preleção do convidado Prof. Carlos Molina, do Hospital Val d’Hebron. Abrindo os temas da reabilitação no AVC o Dr. Carlos de la Cruz Cosme explicará os fundamentos científicos e a experiência clínica de um produto oriental utilizado na recuperação do AVC.

A tarde abrirá com a temática da intervenção precoce de Medicina Física e de Reabilitação, versando as dificuldades relacionadas com a espasticidade e perturbação da fala e linguagem, sendo explicada a importância do internamento específico para reabilitação precoce.

A fechar, três workshops em simultâneo, de áreas distintas, mas todos de grande interesse: “para os clínicos que fazem urgência interessará sobretudo o workshop de Urgências Neurológicas, pois irão ser dissecados os aspetos principais a ter em consideração para o diagnóstico diferencial dos vários sintomas neurológicos mais frequentes nos doentes que recorrem às urgências; para os neurorradiologistas o workshop de trombectomia mecânica será uma mais valia, pois poderão aprender a introdução à técnica e exercitar esta intervenção em simulador; a quem se dedica à reabilitação – médicos, técnicos, enfermeiros – mas também aos clínicos das UAVC interessará sem dúvida o workshop de reabilitação da disfagia, contando com excelentes profissionais na área como preletores”, rematou Elsa Azevedo.

 

B46T7001

Elsa Azevedo, membro da comissão organizadora

O curso destina-se a todos os profissionais de saúde que trabalham com doentes em risco de AVC ou que já o sofreram, mas também a todos os médicos em formação, “cuja vida profissional se cruzará inevitavelmente com esta patologia”. No final haverá avaliação escrita do curso, para quem quiser o respetivo certificado

O curso destina-se a todos os profissionais de saúde que trabalham com doentes em risco de AVC ou que já o sofreram, mas também a todos os médicos em formação, “cuja vida profissional se cruzará inevitavelmente com esta patologia”. No final haverá avaliação escrita do curso, para quem quiser o respetivo certificado.

 

Página oficial: http://www.facebook.com/cursodvc

Email oficial: cursodvc2017@gmail.com
Haverá um suplemento da revista online de acesso livre, de raiz académica, International Journal of Clinical Neurosciences and Mental Health (http://ijcnmh.arc-publishing.org/), dedicado ao Curso, onde serão publicados os resumos das intervenções.

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt