Federação Portuguesa de Associações de Pessoas com Diabetes (FPAD) junta-se ao MOVA

Male doctor giving an injection to a patient at the hospital

Quase dois anos depois de ser fundado pela Respira, com o apoio da Fundação Portuguesa do Pulmão e do GRESP, e no seguimento de entradas de referência como a Liga Portuguesa Contra a Sida (LPCS), a Associação Portuguesa de Asmáticos (APA) e a Associação Portuguesa de Insuficientes Renais (APIR), o Movimento Doentes Pela Vacinação (MOVA) dá as boas-vindas à Federação Portuguesa de Associações de Pessoas com Diabetes (FPAD).

O MOVA é um movimento de cidadania que tem como principal objetivo a sensibilização da população, dos profissionais de saúde e dos decisores políticos  para a importância da vacinação na idade adulta.

«Somos, neste momento, compostos por sete entidades. Todas distintas nas patologias e nas causas que defendem, mas todas unidas num objetivo comum: a promoção dos direitos dos doentes», explica Isabel Saraiva, vice-Presidente da Respira e fundadora do MOVA. «No caso da vacinação antipneumocócica, causa que originou o nosso Movimento, todas as associações de doentes representam grupos de risco, e todas têm indicação para a fazer. É por isso, para nós, MOVA, um privilégio podermos contar com um apoio de peso como a FPAD, e sentir que podemos fazer a diferença na sensibilização para os riscos da Pneumonia e na promoção da sua prevenção, junto desta comunidade».

Quem tem diabetes corre risco acrescido de contrair doenças graves e potencialmente fatais, como a pneumonia, uma das principais causas de morte em Portugal. O controlo da diabetes é fundamental na prevenção de complicações que advêm da doença, onde se inclui a pneumonia. Para além da vacinação antipneumocócica, a prevenção da pneumonia na diabetes passa, também pela cessação tabágica e pela vacinação anual contra a gripe, gratuita para diabéticos desde a época 2017-2018.

A diabetes diminui as defesas do hospedeiro e cria condições para a infecção por bactérias como o pneumococo. Um estudo a 4 anos (2009 a 2012)* revelou que a prevalência da diabetes nos doentes internados com pneumonia era, no mínimo, o dobro a duas vezes e meia, quando comparada com a população que não sofria da doença.O mesmo estudo revelou que pequenos aumentos da incidência de diabetes estavam associados a um aumento mais significativo da prevalência da pneumonia na população internada, e que um doente com pneumonia que também sofresse de diabetes ficava, em média, mais um dia internado do que um indivíduo sem a doença.Também a mortalidade se revelou superior nestes casos. De 13,5% registada nas pessoas sem diabetes, passava para 15,2% nas que tinham ambas as morbilidades. Ou seja, pessoas com diabetes morrem mais de pneumonia. Mesmo quando sobrevivem, ficam internadas mais tempo.

A par da Respira, da Liga Portuguesa Contra a Sida, da Associação Portuguesa de Asmáticos e da Associação Portuguesa de Insuficientes Renais, os membros da FPAD fazem parte dos grupos que, pelas suas co-morbilidades, correm risco acrescido de contrair doenças graves e potencialmente fatais, como a pneumonia. Tal como quem tem diabetes, também as pessoas que sofrem de DPOC ou de asma e de outras doenças respiratórias crónicas, assim como as pessoas cuja imunidade esteja comprometida, ou que tenham recebido um transplante.

É fundamental sensibilizar as pessoas. Dotá-las de conhecimento. Sabemos que 9 em cada 10 adultos com mais de 50 anos não estão vacinados contra a pneumonia, e que a maioria não o faz por falta de aconselhamento médico**. Isto apesar de existir, desde 2015, uma Norma da Direção Geral da Saúde (011/2015) que recomenda a vacinação de grupos de adultos com risco acrescido de contrair doença invasiva pneumocócica (DIP). O MOVA quer inverter esta tendência e contribuir para a melhoria da esperança e da qualidade de vida da população. Reconhece, nos seus membros, parceiros fundamentais neste movimento de cidadania nacional.

 Fontes:
*Diabetes – Poster ERS 2015: Prevalence and impact of Diabetes mellitus (DM) among hospitalized community-acquired pneumonia (CAP) patients: Madalena Martins, PHD; Filipe Froes, MD; José M Boavida, MD; João F Raposo, PHD; Baltazar Nunes, PHD; Rogério T Ribeiro,, PHD; m Paula Macedo, PHD; Carlos Penha-Gonçalves, PHD.
**PneuVUE®: Uma Nova Visão em relação à Pneumonia Entre Adultos Mais Velhos. Disponível em https://www.ipsos-apeme.com.

 

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt