OncoDNA abre em Portugal: “Queremos oferecer mais opções e evitar tratamentos desnecessários”

site2

Empresa belga especializada em estudos genéticos e oncológicos abriu recentemente em Portugal. Luís Alvarez, responsável pelo desenvolvimento do negócio em Portugal e no Brasil, considera que o conhecimento gerado pelos serviços genéticos que oferecem pode fazer toda a diferença e poupar linhas de tratamento desnecessárias para o doente. O Raio-X visitou as instalações da empresa em Charleroi, na Bélgica, onde tudo começou e de onde agora se perspetiva continuar a expansão, e levar a medicina de precisão para além dos 60 países onde já está presente.

O cancro é uma doença genética causada por mutações no nosso ADN: as mutações podem existir desde o nascimento (cancro hereditário) ou ser originadas por fatores ambientais (tabagismo, exposição excessiva aos raios UV, alimentação inadequada ou por exemplo, consumo de álcool).

A OncoDNA tem como missão apoiar os oncologistas na escolha dos melhores tratamentos e estabelecer uma monitorização eficaz dos doentes oncológicos em todo o mundo, e agora também dos doentes oncológicos portugueses.

 

site1

A OncoDNA tem como missão apoiar os oncologistas na escolha dos melhores tratamentos e estabelecer uma monitorização eficaz dos doentes oncológicos em todo o mundo, e agora também dos doentes oncológicos portugueses

Jean-Pol Detiffe, fundador e CEO da empresa, explicou-nos que já não se pensa mais no cancro com foco no órgão, agora pensa-se em termos do perfil do tumor: “medicina de precisão é o novo nome para medicina personalizada. É completamente o oposto do que se faz neste momento com as guidelines protocolares: para este cancro damos este tratamento e depois vemos os resultados. Agora, nós temos em conta vários parâmetros e com base em biomarcadores específicos ajusta-se um tratamento à medida de cada tumor e de cada doente”.

Para traçar o perfil do tumor, a OncoDNA oferece três soluções para os médicos oncologistas poderem analisar o tumor do doente, o OncoDEEP, o OncoTRACE, e o OncoSTRAT&GO.

Os resultados destes testes genéticos podem ser depois comparados numa base de dados da empresa, a OncoSHARE, com o objetivo de ajudar o oncologista a adequar o tratamento: pode identificar tumores semelhantes, saber que tratamentos foram feitos, e quais resultaram ou não. Esta base de dados é, neste momento, a maior comunidade oncológica online, com mais de 250 hospitais em 60 países de todo o mundo, e onde se podem interpretar os avanços, recuos, e mutações genéticas de 2500 doentes.

Nestes estudos, o objetivo é conhecer a assinatura genética de cada tumor. Uma vez traçado o perfil, consegue-se perceber a resistência ou sensibilidade a diferentes fármacos, e esta é uma “informação muito interessante para tentar poupar linhas de tratamento desnecessárias para o doente”, como explicou Luís Alvarez. “Infelizmente, os doentes que nos procuram já estão numa fase avançada da doença, porque os oncologistas chegam a um ponto que não têm mais opções de tratamento”, e, só aí, procuram a teranóstica (conceito que se refere à soma do tratamento e diagnóstico).

Nestes estudos, o objetivo é conhecer a assinatura genética de cada tumor. Uma vez traçado o perfil, consegue-se perceber a resistência ou sensibilidade a diferentes fármacos, e esta é uma “informação muito interessante para tentar poupar linhas de tratamento desnecessárias para o doente”

Em aproximadamente 90% dos casos recebidos na OncoDNA são recomendadas novas opções de tratamento e, em mais de metade dos doentes, acaba por ser feita uma alteração de tratamento com base nas recomendações, mas o ideal era estas ferramentas teranósticas serem utilizadas cada vez mais cedo.

“O problema do cancro, muitas vezes, é momento do diagnóstico: são muitos os casos em que o cancro já está muito avançado e as opções terapêuticas não são as melhores possíveis”, concluiu Luís Alvarez, que tem como função, em Portugal, dar a conhecer os serviços, desenvolver produtos em comum e criar parcerias e pontes com os médicos e doentes oncológicos.

Mais, querem mostrar ao Serviço Nacional de Saúde que esta medicina de precisão pode significar poupança de dinheiro. Uma vez que se consiga adequar os tratamentos, o doente sofre menos efeitos, ou pelo menos, só os efeitos necessários para o seu tratamento, e são utilizados também menos recursos.

Hoje e amanhã, o diretor da empresa em Portugal vai participar no 24th Porto Cancer Meeting, no Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, para apresentar o estudo “Combinação da análise da biópsia sólida e líquida: insights sobre heterogeneidade tumoral”, onde foi analisada a aplicação na rotina clínica de uma nova abordagem integrada que combina análise de biópsia sólida (FFPE) e líquida (amostra de sangue) em doentes com diferentes tipos de cancro metastático.

 

Para mais informações sobre a OncoDNA e os serviços da empresa consulte:

http://www.oncodna.com/distributors/?country=portugal&language=pt#

 

Por Margarida Queirós em Charleroi, Bélgica, a convite da OncoDNA

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt