Prevenir lesões desportivas é possível e decisivo

pexels-photo-460550

O Conselho da Europa define lesão desportiva como um qualquer dano, resultante da participação no desporto, afetando um ou mais segmentos, cuja consequência pode ser uma redução do nível de atividade, a necessidade de cuidados ou aconselhamento médico. A prática de atividade física e a participação desportiva estão difundidas por todo mundo e, embora a existência de lesões seja uma realidade, muito há por fazer para aumentar a participação dos cidadãos, de todas as idades, em atividades físicas e desportivas.

A prática regular está associada a uma qualidade de vida superior e à diminuição do risco de diversas doenças, como é o caso das cardiovasculares.  A maioria das lesões desportivas são de natureza musculoesquelética. No entanto, problemas cardíacos, afeções da pele e distúrbios como Relative Energy Deficiency in Sport (RED-S) podem ocorrer; sobretudo, se houver falta de vigilância por parte de equipas multidisciplinares de medicina desportiva. Os check-ups desportivos de pré-participação e o aconselhamento por profissionais de saúde e de ciências do desporto são da maior importância para que as pessoas pratiquem de forma segura e eficaz, i.e., para que continuem ou se tornem mais saudáveis. Os desportos onde as lesões são mais prevalentes são aqueles de maior contacto físico ou com maior exigência estrutural e funcional, como é o caso do Futebol, do Rugby, do Basquetebol, da Ginástica, da Natação e do Ténis.

Todavia é no futebol, devido ao seu mediatismo, onde as lesões são alvo de maior atenção. Segundo as últimas estatísticas, 270 milhões de pessoas praticam futebol. Assim, temos 4% da população mundial a jogar futebol, oq ue é muito positivo. Há trabalhos científicos que claramente apontam vários benefícios para crianças, adolescentes e adultos. As lesões musculares são as mais frequentes no futebol profissional e representam, aproximadamente, um terço de todas as lesões.

Um plantel profissional de futebol tem a probabilidade de sofrer 15 lesões musculares por época, o que implica 148 treinos e 37 jogos. O joelho é a segunda localização mais frequente de lesão em jogadores de futebol. A rotura do ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho é a mais mediática no âmbito da medicina do futebol, embora represente menos de 1% de todas a lesões. Por sua vez, se combinarmos todos os desportos, o tornozelo é a zona mais afetada e onde ocorrem mais lesões, sendo a entorse do tornozelo a que tem maior incidência.

Se é verdade que não podemos prever se um atleta poderá ou não vir a ter uma lesão, também o é que com medidas e exercícios simples podemos reduzir as lesões de forma muito significativa.

A boa notícia é que a prevenção é possível. Se é verdade que não podemos prever se um atleta poderá ou não vir a ter uma lesão, também o é que com medidas e exercícios simples podemos reduzir as lesões de forma muito significativa. Assim, quer a prevenção primária quer a secundária são da maior importância e todos os que praticam atividade física e/ou desporto devem saber o que fazer junto do seu fisioterapeuta e/ou médico especializados no âmbito da fisioterapia e medicina desportiva.

No caso da ocorrência de lesão, o diagnóstico exato é fundamental para realizar o tratamento mais seguro e eficaz. Para isso recorre-se ao historial médico, mecanismo da lesão, ao exame físico que, usualmente combinados com testes complementares de diagnóstico prescritos com critério (radiografia, ecografia, ressonância magnética, tomografia computorizada ou outros), permitem diagnosticar corretamente e depois desenhar o melhor plano para a reabilitação desportiva.

A reabilitação é determinante para que o atleta recupere a condição desportiva prévia à lesão e para prevenir recidivas, isto é, para que a mesma lesão não se repita. Até porque, uma primeira lesão constitui-se como um dos principais fatores de risco para uma segunda, podendo levar a sequelas mais graves. Portanto, é imperiosa a necessidade de implementar programas de prevenção nas escolas, nas academias desportivas, nos ginásios e em todas as organizações desportivas. Só assim alcançamos o maior benefício com o menor risco.

É prioritário promover, informar e ensinar às pessoas os programas de prevenção, como fazemos no âmbito das atividades de formação e educação da Academia Clínica do Dragão. O programa de prevenção de lesões da FIFA 11+ é simples, divertido de fazer e inclusive serve de aquecimento. Este consiste num conjunto de exercícios que duram cerca de 20 minutos e que, realizados tão só 2 vezes por semana, podem reduzir as lesões em mais de 50%. Os conhecimentos, as competências e o apoio por parte de profissionais especializados em áreas como a traumatologia desportiva e a fisioterapia desportiva são importantes.

No âmbito da atividade física, do desporto e da medicina desportiva organizamos com frequência sessões de formação e educação e estamos disponíveis para ajudar na implementação de programas nacionais, objetivando a saúde a e prevenção de lesões. É com o intuito da promoção da saúde que trabalhamos e acompanhamos os nossos atletas, ajudando-os a ganhar a medalha nos jogos olímpicos ou o brinde dos amigos, prevenir as suas lesões e tratá-los com base nas melhores práticas clínicas e medicina baseada na evidência.

 

Artigo de Opinião de Rogério Pereira e João Espregueira-Mendes da Clínica do Dragão – Espregueira-Mendes Sports Centre – FIFA Medical Centre of Excellence

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt