Bronquiectasias não Fibrose Quística

As bronquiectasias (BQ) são uma doença descrita há mais de 2 séculos, contudo ainda são muitas as incertezas sobre as suas causas e a abordagem terapêutica mais adequada. Correspondem a uma dilatação brônquica irreversível, à qual se associa um ciclo vicioso de infeção, inflamação e lesão brônquica progressiva.

As características clínicas mais comuns são a tosse com expetoração purulenta crónica e exacerbações infeciosas recorrentes. O diagnóstico etiológico é complexo, dada a multiplicidade de doenças causadoras de BQ, contudo deve ser feito um esforço para identificar a doença subjacente, uma vez que pode ser passível de tratamento específico.

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia criou em 2010 o Núcleo de Estudos de Bronquiectasias não Fibrose Quística com o objetivo de divulgar a doença, aumentar o interesse e o conhecimento da patologia e uniformizar o tratamento de doentes com BQ

Apesar do que era antecipado, dado o decréscimo do número de infeções graves na população em geral, a prevalência das BQ permanece muito relevante. É uma patologia que se associa a um decréscimo significativo da qualidade de vida, compromisso da função respiratória, hospitalizações frequentes nos casos graves e aumento da mortalidade.
A maioria dos tratamentos é usada de forma empírica, dada a ausência de estudos de qualidade a fundamentarem os seus benefícios.

Por estes motivos a Sociedade Portuguesa de Pneumologia criou em 2010 o Núcleo de Estudos de Bronquiectasias não Fibrose Quística com o objetivo de divulgar a doença, aumentar o interesse e o conhecimento da patologia e uniformizar o tratamento de doentes com BQ. Este movimento a nível nacional acompanhou o ressurgir do interesse também a nível internacional, claramente evidenciado pelo projeto EMBARC – European Multicentre Bronchiectasis Audit and Research Collaboration; (https://www.bronchiectasis.eu), que visa facilitar a investigação em colaboração multidisciplinar e a manutenção de um Registo Europeu de BQ, que de momento já conta com dados relativos a mais de 2000 doentes.

O projeto EMBARC – European Multicentre Bronchiectasis Audit and Research Collaboration visa facilitar a investigação em colaboração multidisciplinar e a manutenção de um Registo Europeu de BQ, que de momento já conta com dados relativos a mais de 2000 doentes

No dia 7 de maio de 2016 decorreu na cidade do Porto a “7th Portuguese Bronchiectasis Study Group Meeting – 1st Iberian EMBARC Meeting”, sob o patrocínio científico da Sociedade Portuguesa de Pneumologia e da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna.

O programa da reunião foi bastante abrangente, tendo-se abordado questões desde a investigação etiológica, caraterização radiológica, avaliação da gravidade, tratamento antibiótico inalado, organização dos cuidados. Contou com a participação de vários palestrantes da Sociedade Espanhola de Pneumologia (SEPAR) e com a assistência de aproximadamente 130 profissionais de saúde, incluindo pneumologistas, internistas, enfermeiros, fisioterapeutas, entre outros.

O programa da reunião (7th Portuguese Bronchiectasis Study Group Meeting – 1st Iberian EMBARC Meeting) foi bastante abrangente, tendo-se abordado questões desde a investigação etiológica, caraterização radiológica, avaliação da gravidade, tratamento antibiótico inalado, organização dos cuidados

A comissão organizadora está convicta de que esta reunião contribuiu para aumentar o conhecimento sobre bronquiectasias não fibrose quística em Portugal e para melhorar a prestação de cuidados a estes doentes.

Artigo da autoria de Adelina Amorim

Pneumologista no Centro Hospitalar S João

Responsável pelo Núcleo de Estudos de Bronquiectasias


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt