Congresso Português de Reumatologia: 20 edições de ciência, investigação e formação em prol do doente

Chegou ao fim a XX edição do Congresso Português de Reumatologia, José Canas da Silva, presidente desta edição, aproveitou a sessão de encerramento do congresso para deixar uma mensagem especial de agradecimento a todos os que tornaram este evento possível, patrocinando e apoiando as suas atividades: “O Congresso Português de Reumatologia é o palco para a promoção da ciência e da investigação, no qual especialistas se encontram, dando voz a novos projetos e diferentes abordagens, o que por si só, exemplifica o destaque que a Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR) tem dado à formação dos seus sócios”, declarou.

Cedida a palavra e, simbolicamente, a “chave” da sociedade ao Presidente recentemente eleito da SPR, Luís Miranda, este deixou mensagens de louvor à direção vigente pela forma como conseguiu implementar os projetos e reforçar o potencial científico e financeiro da SPR, tendo sido igualmente salientada a importância de alguns membros, que com o seu trabalho contribuíram também para o sucesso. Tudo isto foi possível, nas palavras de Luís Miranda, derivado ao “apoio da Indústria Farmacêutica que funciona como um verdadeiro parceiro nesta demanda contra as doenças reumáticas em Portugal”.O Presidente-eleito da SPR frisou que, ao longo deste Congresso, tal como durante a vigência da direção de Canas da Silva, houve um foco no doente, o que é “particularmente importante se se tiver em conta que é para o doente que esta família da Reumatologia trabalha e é pelo doente que os especialistas têm de se unir”. Face a isto, é de alta importância criar e reforçar laços com associações de doentes, porque são elas que vão ser o melhor testemunho destas pessoas que todos os dias veem a sua vida limitada por estas patologias.

Neste congresso, repleto de várias sessões, foram também apresentadas as novidades terapêuticas. Para Luís Miranda, o grande destaque vai para “a sessão dedicada aos doentes que foram convidados a partilhar testemunhos reais sobre a sua patologia, diagnóstico, tratamento e relação com a reumatologia, o que denota o interesse desta sociedade em colocar o doente no centro da decisão”. Quanto ao carácter diferenciador deste evento, para o Presidente da SPR, foi sem dúvida alguma “pela vitalidade da especialidade” e a “manutenção da qualidade científica”.

Face às expectativas para os próximos dois anos, Luís Miranda garante que a SPR irá apostar na inovação para melhorar a atividade dos reumatologistas, nomeadamente com início de uma rede de hospitais digitais sem papel para Reumatologia. “É esta a nossa aposta futura!”, concluiu.

Por Rita Rodrigues


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt