Petição para a integração da APDP no SNS foi ontem debatida na Assembleia da República

Foi ontem a apreciação, em plenário na Assembleia da República (AR), da petição da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP), que solicita o reforço e o reconhecimento do seu papel como centro de referência nacional no tratamento da diabetes, através da sua integração no Serviço Nacional de Saúde.

 

Correia, Dr. Luis Gardete - APDP (2)

Luis Gardete Correia, presidente da APDP

 

Todas as bancadas parlamentares consideraram e sublinharam a excelência do serviço prestado pela APDP, instituição parceira e complementar do Serviço Nacional de Saúde. O debate foi aberto pelo deputado do PS, Ascenso Simões, que após relatar a sua experiência pessoal, anunciou o projeto de resolução apresentado pelo partido, que recomenda a celebração de um acordo de âmbito nacional entre a Administração Central dos Sistemas de Saúde I. P. (como representante do Ministério da Saúde) e a APDP, por um período de cinco anos (documento em anexo).

«Esta iniciativa do PS será brevemente submetida a votação e, acreditamos que pela sua relevância e por todo o apoio recolhido ontem no parlamento em relação a este tema, será aprovada em plenário», refere Luis Gardete Correia, presidente da APDP.

De acordo com dados do Relatório do Observatório Nacional da Diabetes (“Diabetes, Factos e Números – 2015”) a diabetes tem, atualmente, uma prevalência de 13,1%, o que corresponde a mais de 1 milhão de pessoas, das quais 43% ainda não diagnosticadas. O relatório revela ainda que cerca de 2 milhões de portugueses estão em risco de vir a ter a diabetes. «Motivos mais do que suficientes para que o combate à diabetes esteja no centro do debate político», salienta o presidente da APDP.

“De acordo com dados do Relatório do Observatório Nacional da Diabetes (“Diabetes, Factos e Números – 2015”) a diabetes tem, atualmente, uma prevalência de 13,1%, o que corresponde a mais de 1 milhão de pessoas, das quais 43% ainda não diagnosticadas. O relatório revela ainda que cerca de 2 milhões de portugueses estão em risco de vir a ter a diabetes”

 

Como instituição de cuidados diferenciados, a APDP, tem desempenhado um papel crucial na prevenção e no tratamento da diabetes, por meio da contratualização da prestação de serviços com as Administrações Regionais de Saúde.

A Associação ocupa o primeiro lugar entre os nove centros mundiais de educação terapêutica (International Diabetes Federation Education Center) e é um centro colaborador da Organização Mundial da Saúde.


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt