Portugal continua a registar mais de 600 novos casos de diabetes por cada 100 mil habitantes

Nos últimos três anos verificou-se ainda um número muito  elevado  de novos casos de diabetes diagnosticados anualmente em Portugal, revelam os dados apurados pelo Observatório Nacional da Diabetes (OND) da Sociedade Portuguesa de Diabetologia (SPD) e lançados na véspera do Dia Mundial da Diabetes, que se assinala hoje, 14 de novembro.

Estima-se a existência de entre 605 a 618 novos casos de diabetes por cada 100 000 habitantes em 2018, de acordo com cada uma das fontes considerada. Ao compararmos com os anos anteriores, verifica-se uma tendência para a estabilização da incidência da diabetes em Portugal  desde 2008.

Em 2018 a prevalência estimada da diabetes na população portuguesa com idades compreendidas entre os 20 e os 79 anos (7,7 milhões de indivíduos) foi de 13,6%, isto é, mais de 1 milhão de portugueses neste grupo etário tem esta patologia.

O OND concluiu também que em 2017 a diabetes causou a perda mais de oito anos de vida por cada óbito provocado por esta doença na população com idade inferior a 70 anos. No entanto, nos últimos três anos verificou-se uma diminuição significativa do número de anos potenciais de vida perdidos por diabetes mellitus em Portugal (-15%).

Além do impacto crescente no número de casos, a diabetes assume também um papel significativo nas causas de morte, tendo estado na origem de 3,8% das mortes ocorridas em 2017.

O OND analisou ainda o impacto da diabetes nos cuidados de saúde primários: em 2018 na Rede de Cuidados de Saúde Primários do Serviço Nacional de Saúde (SNS) de Portugal Continental encontravam-se registados 862.197 utentes com diabetes, num universo de 11.649.429 utentes registados. No mesmo ano, o número de utentes com diabetes que utilizou os serviços desta rede (com pelo menos uma consulta registada em sistema) foi de 715.712. O número total de consultas da diabetes realizadas pelo SNS em 2018 foi de 2.126.287. Em 2016 houve 2.138.478 destas consultas e 2.079.814 em 2017.

Rui Duarte, presidente da SPD, explica que “estes dados são para nós muito importantes porque não tínhamos novos dados sobre o impacto da diabetes em Portugal desde 2015. O OND é um instrumento fundamental para conhecermos os números da Diabetes ao longo da última década. Importa agora perceber se estamos a diagnosticar atempadamente e a tratar mais e melhor ou se muitos destes casos ainda não são devidamente acompanhados.”

Já o diretor do OND, João Filipe Raposo, sublinha a importância de olhar para o número de anos perdidos por cada morte provocada por diabetes: “os oito anos de vida que a diabetes rouba, os casos de cegueira, amputações e doença renal crónica que continuam a ser elevados deixam-nos um alerta. Há muito a fazer no que toca ao tratamento e, sobretudo, à prevenção da diabetes em Portugal. Precisamos de mudar estilos de vida para que o número de casos de diabetes parem de aumentar e de acompanhar melhor os nossos doentes para diminuir o impacto das complicações desta doença.”

O OND foi constituído na sequência e em conformidade com a Circular Informativa N.º 46 de 2006 da DGS, que estabelece as regras que devem orientar a criação de centros de observação em saúde: “Os centros de observação de Saúde devem ser organismos independentes, tanto do financiador como dos utilizadores, de modo a preservar a sua análise da influência dos decisores políticos, proporcionando a estes uma análise técnica que ajude a fundamentar o estabelecimento de estratégias e políticas de saúde”. O observatório é parte integrante da  SPD e tem como função recolher, validar, gerar e disseminar informação fiável e cientificamente credível sobre a Diabetes em Portugal. Os números apresentados hoje são preliminares. Em março de 2020 deverá ser apresentado o relatório total dos números referentes ao período entre 2016 e 2018.


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt