Meningite: Especialistas alertam para perigo de adiar a vacinação, em particular no primeiro ano de vida

Na sequência do Dia Mundial da Meningite, que se assinala a 24 de abril, importa sensibilizar a comunidade para os sinais e sintomas da doença meningocócica e sublinhar o apelo das autoridades e profissionais de saúde para que os pais não adiem a vacinação das crianças, nomeadamente, durante este período da pandemia COVID-19.

A doença meningocócica, geralmente designada por meningite, pode ser difícil de reconhecer e diagnosticar numa fase inicial, devido à sua sintomatologia, semelhante à gripe e a outras infeções virais mais comuns. Os sinais iniciais podem incluir febre, cefaleias, náuseas e vómitos, mas podem rapidamente evoluir para sintomas de maior gravidade, pelo que é essencial garantir assistência médica atempada. Fases mais avançadas desta doença podem levar a rigidez no pescoço, fotossensibilidade ou aparecimento de erupções cutâneas que não desvanecem com a pressão.

 “Encorajamos os pais a falarem com os profissionais de saúde acerca das opções disponíveis para proteger os seus filhos contra a meningite. Especialmente tendo em conta que muitos pais não estão familiarizados com o facto de que as suas crianças podem não estar ainda vacinadas contra todos os cinco tipos mais comuns de doença meningocócica”, considera o Dr. Thomas Breuer, Chief Medical Officer da GSK.

O serogrupo B, por exemplo, é responsável pela maioria dos casos de doença meningocócica em bebés e crianças em Portugal, mas a proteção contra este tipo específico da doença só fará parte do Programa Nacional de Vacinação (PNV) a partir de 1 de Outubro. Até lá, para reforçar a proteção contra a meningite B, é necessária a administração de uma vacina extra-PNV.

Sobre a Doença Meningocócica Invasiva (DMI)

A doença meningocócica invasiva (DMI) é pouco comum, com taxas reportadas a nível nacional em vários países entre 0.1 e 2.4 casos por 100.000 habitantes em 2017. Contudo, esta doença imprevisível e potencialmente grave pode ser fatal em pouco mais de 24 horas e constitui a causa mais frequente de meningite bacteriana na maioria dos países industrializados. A DMI pode ser de rápida progressão, normalmente em crianças e adolescentes saudáveis, e resulta em elevados níveis de morbilidade e mortalidade. Os sintomas iniciais podem muitas vezes assemelhar-se aos da gripe, tornando a patologia difícil de identificar e diagnosticar numa fase inicial. Cerca de 1 em cada 10 pessoas que contrai a doença acaba por morrer, mesmo recebendo tratamento apropriado. Além disso, 20% dos sobreviventes correm o risco de sofrer graves sequelas que se traduzem em incapacidade física ou neurológica (amputação, perda de audição ou convulsões). A DMI pode ser fatal num período de horas, sendo por isso crítico o reconhecimento atempado dos seus sintomas e ação em conformidade. Caso suspeite que alguém possa ter contraído a doença, deve confiar nos seus instintos e solicitar assistência médica imediatamente.

Proteção através da vacinação

Há cinco principais tipos de meningite ou serogrupos: A, B, C, W e Y. Atualmente, existem vacinas que ajudam a conferir proteção contra estes serogrupos, mas não existe ainda uma vacina que proteja simultaneamente contra todos eles. Para conhecer melhor as opções de vacinação disponíveis, consulte o seu médico ou farmacêutico.


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt