O que relaciona o Dia de São Valentim ao Dia Europeu da Disfunção Erétil?

Pepe Cardoso, urologista-andrologista no Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, partilha com o Raio-X uma reflexão sobre a história e origem do Dia de São Valentim e a sua relação com o Dia Europeu da Disfunção Erétil.

A História conta que existiram dois mártires com o nome de Valentim. Um deles nasceu em 175, perto de Roma, onde foi consagrado bispo. Naquela época, Valentim lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que havia proibido o casamento dos jovens durante as guerras, pois acreditava que os solteiros eram melhores combatentes, contudo, Valentim continuou a celebrar casamentos mesmo com as proibições.

Mais tarde, foi descoberto, preso e condenado à morte, porém, enquanto estava preso, muitos jovens ofereciam-lhe flores e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor, e enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, apaixonou-se pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão.

A Igreja Católica, ainda durante o século V, decretou o Dia de São Valentim como Dia dos Namorados com o intuito de incentivar os casais que pretendiam seguir com o matrimónio e com a intenção de substituir o tradicional festival romano Lupercalia (veneração da deusa da fertilidade, e marcava o início da Primavera) pelo Dia de São Valentim.

Assim, aos poucos, os povos da Europa começaram a substituir a celebração profana pelo dia do santo, mas no final do século XVIII a Igreja Católica retirou o Dia de São Valentim do calendário religioso, uma vez que não existiam provas históricas concretas da existência do santo.

Apesar disso, a data permaneceu como uma celebração popular do Dia dos Namorados, tendo-se mais tarde associado, na mesma data, o Dia Europeu da Disfunção Erétil uma vez que constava que o próprio São Valentim sofria de disfunção erétil.


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt