31 de maio | Dia Mundial sem Tabaco | Sociedade Portuguesa de Pneumologia apela ao controlo da epidemia do tabaco com maior vigilância à indústria do tabaco

Assinala-se a 31 de maio o Dia Mundial sem Tabaco. Neste sentido, a Sociedade Portuguesa de Pneumologia apela ao controlo da epidemia do tabaco com maior vigilância à indústria do tabaco. Esta data vai ser assinalada com a realização de uma conferência, pelas 17h00, subordinada ao tema “Por um Planeta Sustentável sem Tabaco e Pela Nossa Saúde”, aberta a toda a população e que pretende sensibilizar para a ameaça ambiental que a produção e comercialização de tabaco representam. Poderá assistir no facebook da SPP ou na sede da SPP. 

No âmbito do Dia Mundial sem Tabaco, Sofia Ravara e Raquel Rosa, da Sociedade Portuguesa de Pneumologia, alertam para o facto de existir ainda uma série de ações que são necessárias no nosso país para controlar esta epidemia, entre as quais uma maior vigilância sobre a indústria do tabaco: “de acordo com a OMS, a indústria do tabaco é o vetor da epidemia tabágica, torna-se primordial abolir a promoção, publicidade e patrocínio da indústria do tabaco em eventos sociais, científicos, culturais, festivais de música, iniciativas Governamentais e dos municípios, entre outros, em linha com as políticas de controlo de tabagismo da OMS ao qual Portugal está vinculado. A OMS enfatiza que qualquer atividade dos Governos e da sociedade com a indústria do tabaco prejudica sempre a saúde publica. A indústria interfere com as políticas de saúde pública e aproveita-se da vulnerabilidade da personalidade imatura dos adolescentes e da sua atração por comportamentos de risco. O marketing agressivo dos novos produtos nas redes sociais é dirigido sobretudo aos jovens, as cores e design da embalagem dos líquidos e os sabores dos cigarros eletrónicos são muito apelativos para as crianças e jovens. Há influencers ou bloggers pagos para publicitar os cigarros eletrónicos e tabaco aquecido. Esta é a verdadeira razão da emergência do consumo de cigarros eletrónicos, vaping, cachimbo de água e tabaco aquecido”.

Para as médicas pneumologistas, existem ainda outras medidas que devem ser tomadas no nosso país para controlar esta epidemia, tais como, “implementar uma política abrangente de espaços públicos livres de fumo, aumentar de uma forma consistente os impostos sobre todos os produtos de tabaco e nicotina, abolir a publicidade e promoção dos produtos de tabaco e nicotina nos pontos de venda, implementar a abordagem sistemática dos fumadores e o tratamento da dependência tabágica nos sistemas de saúde e uma linha telefónica SOS para deixar de fumar e totalmente dedicada a este serviço.”

Relativamente ao Dia Mundial sem Tabaco deste ano, o mote proposto destaca a relação entre o tabaco e o ambiente: “o tabaco causa uma imensa devastação ambiental desde a produção agrícola e industrial, até á distribuição comercial e ao consumo: consome florestas, envenena e empobrece os solos, gera lixo tóxico e polui os rios, oceanos e outros recursos hídricos, prejudica seriamente a qualidade do ar interior, ameaçando a vida e a sustentabilidade do nosso planeta”, referem Sofia Ravara e Raquel Rosa.

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia está empenhada em promover a saúde e o desenvolvimento sustentável, em linha com o plano nacional de saúde e o programa prioritário de controlo de tabaco, trabalhando em conjunto com os decisores políticos a sociedade civil alargada, e as organizações Europeias de saúde.  Nesse sentido, vai assinalar esta data com a realização de uma conferência subordinada ao tema “Por um Planeta Sustentável sem Tabaco e Pela Nossa Saúde”, aberta a toda a população e que pretende sensibilizar para a ameaça ambiental que a produção e comercialização de tabaco representam.

Neste evento vai merecer destaque “a solução para eliminar as consequências sociais, económicas e sanitárias avassaladoras do tabaco: Acelerar a implementação da Convenção-Quadro de Controlo de tabaco da OMS”, referem Sofia Ravara e Raquel Rosa. Será ainda apresentado um estudo da Universidade da Beira Interior e da Escola Nacional de Saúde Pública que entrevistou a população de Portugal Continental, concluindo que as medidas de prevenção e controlo de tabagismo da OMS são bem aceites pela população, destacando-se que 86% dos portugueses e 66% dos fumadores concordam com uma política livre de fumo abrangente e sem exceções nos locais públicos fechados.

Conferência Dia Mundial sem Tabaco “Por um planeta sustentável sem tabaco pela nossa saúde”

31 de maio, 17h00

Sociedade Portuguesa de Pneumologia – presencial ou Facebook


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt