Coronavírus: um caso confirmado em Portugal, outro aguarda contra-análise

Em conferência de imprensa, a ministra da Saúde, Marta Temido, e a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, avançaram hoje que estão confirmados os primeiros casos de infeção por Covid-19 em território nacional. Ambos estão internados no Porto e um deles aguarda ainda os resultados de contra-análise.

O doente que já se encontra confirmado é um médico de 60 anos que esteve de férias no norte de Itália e sentiu os primeiros sintomas em 29 de fevereiro, estando agora internado no Centro Hospitalar Universitário do Porto. Aquele que aguarda a validação do Instituto de Saúde Ricardo Jorge é um homem de 33 anos, internado no Centro Hospitalar Universitário de São João, regressado de Valência, Espanha, que apresentou os primeiros sintomas em 26 de fevereiro. O estado de saúde de ambos é “estável”.

A ministra da Saúde referiu que os contactos destes dois pacientes “vão ser colocados em vigilância”, adiantando ainda que as Administrações Regionais de Saúde estão a trabalhar para a “identificação” destas pessoas e a avaliar o seu “grau de exposição” ao novo coronavírus.

“Neste momento, aquilo que é a recomendação geral para as pessoas que venham de uma área afetada onde possam ter tido contacto com doentes é fazerem vigilância ativa e contactarem a linha SNS 24 no sentido de terem aconselhamento do que devem fazer. Será um trabalho caso a caso. E do aconselhamento poderão ser definidas outras medidas”, disse a diretora-geral da Saúde.

No que respeita às medidas que serão tomadas, Graça Freitas sublinhou que “vão ser proporcionais ao grau de risco e adequadas às situações, ao dinamismo, flexibilidade e proporcionalidade”.

Quanto à possibilidade de alargar o plano de intervenção das autoridades de saúde, Marta Temido referiu que “neste momento, foi já tomada a decisão de aplicar [o rastreamento] aos voos que são provenientes de áreas afetadas, já o tínhamos feito relativamente aos voos provenientes da China. Vamos alargar essa medida aos voos provenientes da Itália”, realçando que se trata da “aplicação de uma rastreabilidade de contactos e também de um reforço da informação dos provenientes dessa região”.

E Graça Freitas adiantou: “Estamos em fase de contenção e vamos continuar. Teremos quase de certeza dois casos confirmados. Não aumenta o nível de prevenção neste momento, mas gera uma segunda linha muito importante de deteção de contactos diretos. A palavra do momento é tranquilidade”.

Saiba mais sobre o coronavírus AQUI.


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt