FPC: “Não importa se não nasceste para o desporto, desde que o pratiques com o coração”

O mote do “Maio, Mês do Coração” 2017 foi lançado a 27 de abril, durante a sessão solene de abertura desta efeméride, uma iniciativa da Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC). Coração e Desporto é o tema deste ano, que protagonizará as atividades desenvolvidas de norte a sul do país até ao final do mês. “Não importa se não nasceste para o desporto, desde que o pratiques com o coração” é a mensagem-chave que está a ser difundida na rádio, televisão, cinemas, cartazes e mupis um pouco por todo o país.

Os resultados do inquérito “Os Portugueses e o Sedentarismo”, apresentados nesta sessão pelo Dr. António Gomes, da GfK Metris, vieram confirmar os alertas que FPC tem repetido ao longo dos últimos anos: cerca de 64% dos entrevistados confessam praticar menos de 1 hora e 30 minutos de exercício físico por semana. Com o avançar da idade, esta tendência de hábitos sedentários aumenta e ainda mais quando associada ao tempo que cada indivíduo passa sentado por dia. 54% dos inquiridos passa menos de 5 horas sentado por dia, cerca de 30% passa entre 5 a 10 horas sentado.

Cerca de 64% dos entrevistados confessam praticar menos de 1 hora e 30 minutos de exercício físico por semana. Com o avançar da idade, esta tendência de hábitos sedentários aumenta e ainda mais quando associada ao tempo que cada indivíduo passa sentado por dia. 54% dos inquiridos passa menos de 5 horas sentado por dia, cerca de 30% passa entre 5 a 10 horas sentado

O assessor médico da FPC, Luís Negrão, considera que “o mais preocupante neste estudo é o facto de 43% dos inquiridos que se assumem como sedentários, dizerem que fazer exercício físico não é muito importante nem interessante. Quase metade das pessoas pouco ou nada fazem por considerarem que a atividade física não é importante.”

“Devemos ter presente que a inatividade física é uma das mais importantes causas de doença e de morte no mundo moderno. Em contrapartida, a atividade física regular (exercício físico) ajuda a controlar o peso e aumenta a saúde do aparelho cardiovascular, dos pulmões e do aparelho músculo-esquelético”, explica Manuel Carrageta, presidente FPC, acrescentando que “a atividade física reduz o risco de ataques cardíacos em mais de 30% e a inatividade física confere um risco semelhante ao da obesidade e do tabagismo”.

O presidente da FPC salientou também a necessidade de implementar uma política de prevenção, tendo em conta que “gastar dinheiro em prevenção deve ser cada vez mais percebido pelo Governo, não como uma despesa, mas como um investimento altamente rentável”.

No panorama internacional, os portugueses destacam-se nos inquéritos europeus por constituírem o povo que menos atividade pratica, “talvez porque a população ainda não assumiu a forte relação que existe entre o exercício, a saúde e o bem-estar”, finalizou Manuel Carrageta.

A Fundação Portuguesa de Cardiologia pretende, no decorrer do mês de maio, incentivar os portugueses a praticar atividade física de intensidade moderada, meia hora por dia, pelo menos 5 dias por semana, para reduzir o risco de doença cardíaca. 36% dos inquiridos mostram vontade de praticar mais exercício físico, mas o dia-a-dia acaba por falar mais alto.

A Fundação Portuguesa de Cardiologia pretende, no decorrer do mês de maio, incentivar os portugueses a praticar atividade física de intensidade moderada, meia hora por dia, pelo menos 5 dias por semana, para reduzir o risco de doença cardíaca. 36% dos inquiridos mostram vontade de praticar mais exercício físico, mas o dia-a-dia acaba por falar mais alto

A sessão solene de abertura contou com a presença de José Manuel Proeza, representante do Presidente da Assembleia da República, de Manuel Delgado, representante do Ministro da Saúde, de Augusto Baganha, representante do Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, de João Morais, presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, de José Maria Gonçalves Pereira, presidente do conselho geral da Fundação Portuguesa de Cardiologia, de António Papão, presidente da Liga de Amigos da FPC, de Polybio Serra e Silva, presidente da Delegação Centro da FPC, sem esquecer António Gomes, Luís Negrão e Manuel Carrageta, já referidos.

 

Consulte aqui o calendário de atividades:

3 e 4 de maio – XVII Jornadas Científicas da Delegação Centro

4 de maio – 3ª Jornada do Torneio de Futebol 5

5 de maio – Jantar Anual da Delegação Norte

5, 6, 7, 25, 26, 27, 28  de maio – Peditório Nacional

6 de maio – Torneio de Padel

6 de maio – 2º Torneio de Golfe da Fundação Portuguesa de Cardiologia

11 de maio – Meias-finais do Torneio de Futebol 5

19 de maio – Reunião Científica sobre “O Coração no Desporto”

20 de maio – Finais do Torneio de Futebol 5

27 de maio – Festival pelo Coração

30 de maio – Conferência “O Coração no Desporto”

 

Ao longo de todo o mês:

– Realização de rastreios cardiovasculares

– Dia do Coração nas Empresas

– Distribuição de material didático

– Rúbricas Rádio

– Presenças em TV

 

Para mais informações consulte: https://www.fpcardiologia.pt/


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt