Manual de Dor Crónica, uma ferramenta de “ajuda na formação médica”

No decorrer do 15.º Convénio ASTOR, realizado na Faculdade de Medicina Dentária, no passado dia 27 de janeiro, foi apresentada, por José Luís Portela e Walter Osswald, a segunda edição do Manual de Dor Crónica, com o apoio da Fundação Grünenthal.

Segundo José Luís Portela, “esta segunda edição do Manual pretende ser uma ajuda na formação dos médicos e de todos aqueles que, de algum modo, se sintam empenhados no apoio ao doente com dor crónica”. Os profissionais “podem aqui encontrar muitas respostas às suas dúvidas” e “compreender melhor a complexidade do problema”, acrescentou.

Apesar dos avanços marcados da Medicina da Dor e do “reconhecimento da dor crónica como doença durante o último quartel do século passado”, o antigo coordenador da Unidade de Dor do Instituto Português de Oncologia considera que a abordagem desta situação continua a ser alvo de “múltiplos constrangimentos e a necessitar de uma política de referenciação que cubra o território nacional”. Até porque, “se o alívio da dor é um direito do doente, é um dever da sociedade dar o seu contributo para que este direito se realize”.

Para Walter Osswald, presidente da Fundação Grünenthal, este Manual de Dor Crónica “merece ser assinalado como acontecimento de especial relevo, dados os resultados de estudos sobre a preocupante prevalência desta situação, em Portugal, como noutros países, a causar perdas de saúde individual e coletiva, sofrimento e negativo impacto económico.

 

Prémio Grünenthal – ASTOR para a melhores comunicações livres

Como já vem sendo tradição, a Grünenthal atribui, no Convénio Astor, um prémio de 2500 euros à melhor comunicação livre apresentada. Este ano, por sugestão do júri, o prémio foi dividido em duas partes, no sentido de valorizar os trabalhos apresentados por profissionais médicos e por profissionais não médicos (enfermeiros, psicólogos clínicos, fisioterapeutas, entre outros).

Assim, o prémio para a melhor comunicação livre apresentada por profissionais não médicos foi atribuído à equipa de enfermeiros do Centro Materno-Infantil do Norte, Centro Hospitalar do Porto pelo trabalho Protocolo de avaliação e controlo da dor agudo no doente pediátrico, exposto por Manuela Amaral Bastos.

A comunicação apresentada por profissionais médicos vencedora foi Trabalho em dor crónica associado ao Burnout nos médicos, exposta por Rita Lapa, do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

Os prémios foram entregues por Ana Martins, diretora geral da Grünenthal.

 

Veja a fotogaleria aqui:


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt