Adesão à terapêutica discutida no 6ºencontro de jovens com hemofilia

598737_578934918819704_519148391_n

O 6º Encontro de Jovens com Hemofilia começou hoje e vai decorrer até dia 4 de março, no Hotel Sado, em Setúbal. Uma iniciativa da Associação Portuguesa de Hemofilia e outras Coagulopatias Congénitas (APH) com o apoio da Shire. O encontro vai ser dinamizado através de um workshop denominado “Adesão à terapêutica – Hemorragias Zero”, conduzido por Artur Pereira, especialista em Imuno-Hemoterapia no Centro Hospitalar Lisboa Norte.

O Encontro de Jovens da APH recebe, todos os anos, jovens entre os 14 e os 30 anos que vivem com Hemofilia para uma partilha de experiências e conhecimentos sobre a doença com o intuito de melhorar o panorama geral da doença em Portugal.

Miguel Crato, presidente da APH refere que “Estas discussões são muito importantes para que os jovens saibam que, atualmente, é possível viver sem hemorragias, através do tratamento de prevenção ajustado a cada pessoa (profilaxia personalizada baseada nas necessidades de cada um). Aqui, os jovens têm um papel muito ativo, uma vez que para conseguirem ter Zero hemorragias as doses do tratamento têm de ser respeitadas sem falhas.”

A adesão à terapêutica do tratamento é primordial para evitar o impacto das hemorragias na degradação da saúde e, consequentemente, da qualidade de vida. O avanço das tecnologias têm sido uma componente essencial no apoio ao tratamento e à definição da profilaxia personalizada dos jovens e, por isso, serão também um tópico de discussão no evento.

Por Rita Rodrigues