Mês de novembro alerta para as doenças do homem

07485a2955371ea119327c67f2f1e89f

A Associação Portuguesa de Urologia (APU) assinala, entre os dias 5 e 30 de novembro, o mês de alerta para as Doenças do Homem. O objetivo é chamar a atenção para patologias clínicas frequentes como é o caso da hipertrofia benigna da próstata (HBP), cancro da próstata, prostatites, tumores do testículo e disfunções sexuais.

Doenças graves diagnosticadas de forma atempada têm fortes possibilidades de cura. Os tumores da próstata e do testículo, por exemplo, podem ser silenciosos numa fase inicial. Daí a importância de sensibilizar os homens para a prevenção.

Hipertrofia benigna da próstata (HBP)

O aumento da próstata tem uma elevada prevalência a partir dos 70 anos. Este aumento pode provocar sintomas urinários, como micções mais frequentes ou jato urinário fraco.
Em fases mais avançadas, a bexiga não consegue esvaziar-se completamente. A retenção completa pode obrigar à colocação de um cateter ou algália.
Quando a HBP é detetada em estádios precoces pode ser tratada com medicamentos e o risco de complicações é menor. Noutros casos, a única solução é a cirurgia.

Cancro da próstata

O cancro da próstata está entre os tumores malignos mais frequentes no homem. Pode espalhar-se pelo organismo, provocando danos, sofrimento e, por vezes, a morte.
Inicialmente, enquanto está localizado, o cancro da próstata não dá sintomas. Só numa fase mais avançada podem surgir dores ósseas, sintomas urinários, anemia e prostração.
É importante detetá-lo precocemente. A vigilância anual deve iniciar-se a partir dos 50 anos. Caso haja história familiar de cancro da próstata, a vigilância deve ser antecipada para os 45 anos. Comece a prevenção com uma simples análise ao sangue!

Prostatites

É uma inflamação da próstata causada, na maioria das vezes, por uma infeção. Provoca dores e grande desconforto no baixo-ventre, por vezes na zona entre o escroto e o ânus, ardor à micção e micções muito frequentes. Em situações de prostatite aguda surge febre alta e mal-estar geral que poderão justificar internamento. As situações crónicas causam grande desconforto, mas sem febre, e necessitam de tratamentos prolongados.

Tumores do testículo

São os tumores mais prevalentes entre os 15 e 34 anos, embora raros. Representam cerca de 1 a 2% dos cancros no homem, mas são altamente curáveis em mais de 95% dos casos após tratamento.
Nem sempre produzem sintomas. O sinal mais comum é o aumento de volume testicular ou a presença de uma massa palpável e geralmente indolor. Ao contrário de outros tumores, este pode ser detetado pelo próprio. Aprenda a fazer o auto- -exame do testículo para detetar precocemente alterações patológicas.

Disfunções sexuais

Muitos homens têm ou já tiveram dificuldades na obtenção ou manutenção de uma ereção, alterações na ejaculação e orgasmo. As causas podem ser as mais diversas e devem ser investigadas para determinar se são uma doença ou um sintoma. Apesar de benignas, têm um grande impacto na qualidade de vida do homem e do casal.
Lembre-se que existem hoje soluções terapêuticas que ajudam a tratar a maioria destas condições clínicas. A adoção de um estilo de vida saudável também é muito importante para prevenir algumas disfunções sexuais.

Sintomas

Se identificar algum dos sintomas que descrevemos fale de imediato com o seu médico.

Doenças graves diagnosticadas de forma atempada têm fortes possibilidades de cura.

Recomenda-se que a partir dos 45 anos todos os homens consultem o seu médico para despistar alterações na próstata, principalmente se algum familiar próximo já tem um historial de cancro  da próstata.

Ajude-nos a salvar vidas. Ajude-nos a passar esta mensagem!

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt