Cancro da mama: grupos parlamentares apoiam 8 recomendações da Sociedade Portuguesa de Oncologia

A Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO) apresentou, no âmbito da sessão “Cancro da mama – Pensar o presente, construir o futuro”, que decorreu dia 12 de dezembro na Assembleia da República, um documento com oito compromissos para a área. PSD, PS e CDS-PP uniram-se no compromisso da adoção dos oito compromissos, assinando o documento.

O documento sugere caminhos de ação na área do cancro da mama que, segundo Gabriela Sousa, Presidente da SPO, “visam uma maior sensibilização para o cancro da mama, em particular para o cancro da mama metastático, com estratégias concretas para uma abordagem holística à doença”. Espera-se que estes oito compromissos contribuam “para fortalecer as políticas nesta área, melhorando os cuidados de saúde e o apoio social às mulheres que vivem com cancro da mama em Portugal.”

As medidas sugeridas pela SPO são:

  1. Aumentar o acesso a informação sobre o cancro em todas as fases da doença.
  2. Impulsionar o conhecimento e gerar compreensão pública sobre os diferentes estadios e impactos da doença, por exemplo, através do apoio e/ou promoção de campanhas educativas e de sensibilização em torno da doença.
  3. Estimular a colaboração entre universidades, investigadores, profissionais de saúde, doentes e seus representantes e indústria farmacêutica, enquanto factor crucial para a gestão da doença.
  4. Impulsionar a recolha e o acesso a dados epidemiológicos sobre a doença metastizada.
  5. Contemplar as necessidades das pessoas com cancro metastático nos planos de intervenção politica para o desenvolvimento da oncologia em Portugal.
  6. Proteger os direitos dos trabalhadores com cancro, nomeadamente na fase da doença metastática.
  7. Facultar mecanismos que permitam evitar fragilidades financeiras na vida das pessoas com cancro que ficam desempregadas.
  8. Desenvolver políticas sobre “cancro e trabalho” de forma a apoiar as entidades empregadoras e os colaboradores a desenvolverem estratégias adequadas e personalizadas para a gestão da doença no local de trabalho.

O cancro da mama é o tipo de cancro mais comum entre as mulheres (não considerando o cancro da pele). Existem cerca de 1,7 milhões de novos casos de cancro da mama, por ano, no mundo; em Portugal são detectados anualmente cerca de 6.000 novos casos, dos quais 500 acabam por morrer, vítimas desta doença que corresponde à segunda causa de morte por cancro, na mulher. Em 2030, a Organização Mundial da Saúde estima que o número de mortes atinja os 805,116 casos, representando um aumento de 43% do número de mortes por cancro da mama.


MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt