APED abre candidaturas para prémio de jornalismo na área da dor

dor

Já vai na sétima edição o prémio de Jornalismo na área da dor e as candidaturas estão a decorrer até ao próximo dia 15 de setembro. O prémio anual promovido pela Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) e pela Fundação Grünenthal, visa incentivar e reconhecer o interesse e qualidade dos trabalhos jornalísticos na área da dor.

Ao jornalista vencedor é entregue o valor de dois mil euros e, ao segundo classificado, um prémio no valor de mil euros. Os trabalhos, submetidos à avaliação de um júri, composto por 5 membros, dois indicados pela APED, um pela Fundação Grünenthal e dois pelo Sindicato dos Jornalistas, serão avaliados tendo em conta critérios como a criatividade, a investigação, a relevância e a qualidade das peças.

Podem concorrer todos os jornalistas residentes em Portugal, cujos trabalhos tenham sido publicados, em língua portuguesa, em imprensa – escrita e online -, televisão e rádio, entre os dias 1 de maio de 2017 e 31 de agosto de 2018.

Na última edição, os prémios foram atribuídos a André Rodrigues, jornalista da Rádio Renascença, pela reportagem “Vidas de Dor, Corpos que não Desistem” e à jornalista da TSF, Bárbara Baldaia, pela reportagem “Um dia de cada vez”. A Menção Honrosa foi atribuída a Paula Rebelo, jornalista da RTP, com a reportagem “Quando a dor é doença”.

Consulte aqui o regulamento completo da 7.ª edição do Prémio Jornalismo na área da Dor.

 

logobranco

MORADA:

Rua Hermínia Silva nº 8 LJ A, Jardim da Amoreira
2620-535 Ramada

geral@raiox.pt